65 3624-3060

  • 001-instagram
  • 002-twitter-logo-button
  • 003-facebook-logo-button

                  Consultoria

         Financeira

e Organizacional       

Como praticamente toda a ciência, as finanças empresariais incorporaram em seu escopo as grandes evoluções do mundo contemporâneo. Seus métodos de avaliação e conteúdo conceitual assumiram um caráter bem mais abrangente, elevando sua importância para as empresas. A crescente complexidade do mundo dos negócios determinou que o responsável pela área financeira desenvolvesse uma visão mais integrativa da empresa e de seu relacionamento com o ambiente externo. O conhecimento restrito às técnicas e os instrumentos de administração financeira já se mostram insuficientes no atual mundo dos negócios, obrigando o executivo a ter maior sensibilidade relativa a outros valores e informações estratégicos.

O processo de tomada de decisões reflete a essência de conceito de Administração. E decisões, por sua vez, são tomadas com base em dados e informações viabilizados pela contabilidade, levantados a partir da análise do comportamento do mercado e do desempenho interno da empresa. Esse processo decisorial básico ao sucesso de toda empresa vem assumindo complexidade e riscos cada vez maiores na economia brasileira. Aspectos políticos e econômicos como desequilíbrios nas taxas de juros, desajustes no mercado, ausência de poupança de longo prazo, intervenções nas regras de mercado da economia , comportamento das taxas de inflação, desafios do crescimento da economia, entre outros aspectos, vêm exigindo uma capacidade mais questionadora e analítica dos tomadores de decisão.

Conceitos financeiros consagrados em outros ambientes econômicos costumam encontrar enormes dificuldades de adaptação em nossa realidade empresarial, demandando um conjunto de ajustes e reflexões, nem sempre seguidos pelo mercado.

Dentro do ambiente empresarial, a administração financeira volta-se basicamente para as seguintes funções:

  • Planejamento financeiro: o qual procura evidenciar as necessidades de expansão da empresa, assim como identificar eventuais desajustes futuros. Por meio do planejamento, ainda, é possível ao administrador financeiro selecionar, com maior margem de segurança, os ativos mais rentáveis e condizentes com os negócios da empresa, de forma a estabelecer satisfatória rentabilidade sobre os investimentos.

  • Controle financeiro: o qual se dedica a acompanhar e avaliar todo o desempenho financeiro da empresa. Análises de desvios que venham a ocorrer entre os resultados previstos e realizados, assim como propostas de medidas corretivas necessárias, são algumas das funções básicas da controladoria financeira.

  • Administração de ativos: que deve perseguir a melhor estrutura, em termos de risco e retorno, dos investimentos empresariais, e proceder a um gerenciamento eficiente de seus valores. A administração dos ativos acompanha também as defasagens que podem ocorrer entre entradas e saídas de dinheiro de caixa, o que é geralmente associado à gestão do capital de giro.

  • Administração de passivos: que se volta para a aquisição de fundos (financiamento) e o gerenciamento de sua composição, procurando definir a estrutura mais adequada em termos de liquidez, redução de seus custos e risco financeiro.
     

A análise das demonstrações financeiras visa fundamentalmente ao estudo do desempenho econômico-financeiro de uma empresa em determinado período passado, para diagnosticar, em consequência, sua posição atual e produzir resultados que sirvam de base para a previsão de tendências.