Vai um Dinheiro aí?

24/02/2020

 

 

Um professor universitário fazia uma viagem de trem. Para driblar a monotonia, puxou conversa com um fazendeiro das redondezas. – Sou um professor universitário, tenho cinco diplomas, falo seis idiomas, sou muito viajado e conheço todos os continentes. E o senhor, quem é? - Eu não completei nem o primário. Disse o velho fazendeiro.

 

O professor, vendo que entre eles não seria possível uma longa conversa, sugeriu uma brincadeira para passar o tempo. Cada uma faria uma pergunta ao outro e quem não soubesse pagaria com uma moeda.

 

- Mas eu não acho justo – disse o velho – já que tenho pouco conhecimento. – Proponho que se eu errar pago uma moeda e se você errar me pague dez moedas. O professor aceitou.

 

- Eu começo – falou o fazendeiro. – O que é, o que é que tem dez metros de comprimento, pesa dez quilos, tem capacidade para transportar dez pessoas e dá volta ao mundo em dez dias?

 

Depois de muito pensar, o professor desistiu e pagou as dez moedas.

 

Era a vez da réplica e o letrado devolveu a mesma pergunta. No que respondeu o camponês: - Também não sei – Entregando apenas uma moeda ao espantado professor.

 

Hoje em dia existe uma enxurrada de ofertas de crédito fácil disponível para todos. Além dos Bancos, também as empresas comerciais estão ofertando dinheiro em abundância. E com um diferencial, se você não precisa de dinheiro elas inventam uma necessidade e lhe emprestam.

 

Ou você tem dinheiro sobrando, não precisa de mais, porque tem, ou tem dinheiro faltando, não precisa de mais dívidas. Bem como na sua casa tem tudo, ou quase tudo. Aparelhos eletrônicos de uso doméstico e de uso pessoal.

 

Aí entra em campo as Lojas da Cidade. Já que você não precisa de dinheiro emprestado, as Lojas da Cidade inventam uma necessidade. Sabe como? Ofertam-lhe um objeto que você não tem, ou um objeto melhor do que o que você já tem. E se você não tem o dinheiro na hora para pagar ela lhe empresta parcelado em vários meses.

 

Está formado o triângulo perfeito: Lojas da Cidade (emprestador) versus a Necessidade nova (dinheiro emprestado) versus o Tomador (você).

 

É assim que as empresas emprestam dinheiro aos montes, para quem precisa e para quem não precisa. Não é a toa que elas ganham mais com finanças do que com eletrodomésticos.

 

O que as Lojas da Cidade estão fazendo é perfeitamente legal. E ainda gera emprego para milhares de pessoas e beneficia muitas famílias brasileiras. O que quero alertar é que precisamos refletir sobre nossa real necessidade de comprar tudo que é ofertado.

 

Temos conhecimento de sobra. Somos competentes em nossa profissão. Temos vários diplomas. Mas em matéria de crédito, às vezes recebemos uma moeda e devolvemos dez. Vai um dinheiro aí? Pense nisso, mas pense agora.

 

Saulo Gouveia é consultor financeiro e organizacional e atua oferecendo novos significados para viver as virtudes em abundância. Articulista de A Gazeta, escreve neste espaço aos domingos. saulogouveia@seubolso.com.br ou www.seubolso.com.br.

Compartilhar
Retweet
Please reload

65 3624-3060

  • 001-instagram
  • 002-twitter-logo-button
  • 003-facebook-logo-button
Please reload

Arquivo

Ouvindo a Voz da Empresa 5/5

04/12/2017

1/5
Please reload

Posts Em Destaque
Procurar por tags
Posts Recentes